top of page

A luz UV pode matar o coronavírus?

Atualizado: 25 de jan.

A crescente preocupação global com a COVID-19 tem despertado interesse renovado na esterilização por meio da luz ultravioleta, uma prática que remonta ao início do século passado. Utilizada desde 1906 para o tratamento de água e em ambientes hospitalares, a luz UV do tipo C, demonstrou ser eficaz na desativação de vírus e bactérias.

Lâmpada UV Care222 desenvolvida pela fabricante japonesa Ushio. A lampa utiliza uma frequência de luz que não causa danos a seres humanos.

O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, em colaboração com especialistas do Curso de Física Médica da UFS, destaca a importância de informar a sociedade sergipana sobre o uso adequado e seguro da luz UV para esterilização.


É crucial compreender que apenas a luz UV do tipo C (UVC) possui a capacidade confiável de desativar vírus e bactérias. Diferentemente da luz UV que atinge a superfície da Terra, a UVC é mais energética. Ao adquirir produtos para esterilização UV, é imperativo garantir que emitam luz UVC, produzida por lâmpadas germicidas especiais, evitando produtos que não oferecem essa característica.


Aplicações Práticas da Luz UVC

A luz UVC é comumente aplicada na desinfecção de água e superfícies em ambientes como hospitais, empresas farmacêuticas e laboratórios de pesquisa. Ela é absorvida pelas moléculas de DNA dos germes, impedindo a replicação de vírus e bactérias.


Entretanto, a utilização adequada de dispositivos UVC é essencial para garantir a segurança. A eficácia da desinfecção depende da dose de luz UVC à qual a superfície é exposta, considerando a potência da lâmpada, a distância até o objeto e o tempo de exposição. A Associação Internacional de Ultravioleta (IUVA) alerta que partes sombreadas podem não receber luz UV suficiente para desinfecção, ressaltando a importância da exposição completa da superfície.


Inovações Tecnológicas e Soluções Promissoras

A equipe da Universidade Federal de Sergipe desenvolveu uma cabine de desinfecção de máscaras faciais descartáveis, visando proteger contra a inalação de agentes infecciosos e o risco de transmissão por gotículas. Essa inovação torna-se especialmente relevante em meio à escassez de equipamentos de proteção individual durante a pandemia.


Além disso, a fabricante japonesa Ushio desenvolveu a lâmpada Care 222, que utiliza uma frequência de 222 nanômetros, comprovadamente capaz de eliminar o vírus SARS-CoV-2 em minutos. Essa tecnologia, segura para humanos, destaca-se como uma solução promissora para a desinfecção de ambientes.


No Brasil, a companhia aérea Azul anunciou recentemente a aquisição de quatro unidades do Honeyweel UV Cabin System, que serão usados para desinfecção de suas aeronaves. Com o tamanho aproximado do carrinho usado para servir alimentos e bebidas aos passageiros, o higienizador conta com dois braços que se estendem até a parte de cima dos assentos. O aparelho é guiado pelos corredores enquanto os braços higienizam a superfície da aeronave com luz ultravioleta. O procedimento é feito com a aeronave vazia.

Enquanto a luz UVC apresenta potencial na desinfecção, sua utilização deve ser realizada com cautela e em conformidade com as diretrizes de segurança. A pesquisa contínua e a inovação tecnológica, como a lâmpada Care 222, contribuem para abordagens mais seguras e eficazes na luta contra a propagação do coronavírus.

12 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page