top of page

Radiação ultravioleta no combate ao Covid-19

Atualizado: 25 de jan.

O cenário global transformou-se com a chegada do novo coronavírus, e as máscaras tornaram-se protagonistas na proteção contra a COVID-19. Contudo, a nova demanda e desafios na produção destacam a necessidade de métodos eficazes de descontaminação.


Uma profissional hospitalar utilizando um equipamento de descontaminação por luz UV para higienizar equipamentos hospitalares de uso comum.

Recentemente, diante da necessidade urgente de descontaminação em situações de emergência, novas orientações foram emitidas, e a radiação UVC destaca-se entre as opções promissoras. Essa forma de radiação tem a capacidade de eliminar vírus, bactérias e outros micro-organismos ao penetrar nas células desses patógenos e atingir seu código genético. Além disso, evidências sugerem que os raios ultravioletas podem danificar aminoácidos e proteínas que protegem o vírus ou facilitam sua ligação e infecção em células hospedeiras.


A utilização da radiação ultravioleta como método de desinfecção ganhou destaque com a pandemia de Covid-19, onde a necessidade de proteção pessoal, incluindo o uso de máscaras, tornou-se uma prática comum para além do ambiente hospitalar. A produção global desses itens essenciais enfrentou desafios significativos, levando a preocupações sobre a correta desinfecção de roupas, objetos e ambientes.


A radiação ultravioleta para esterilização e a luta contra o Sars-Cov-2.

Há mais de um século, a tecnologia de radiação ultravioleta (UVC) desempenha um papel vital na esterilização de diversos ambientes, desde hospitais até meios de transporte. Seu uso inicial na higienização da água potável demonstrou eficácia contra parasitas resistentes a desinfetantes químicos.


Apesar da falta de pesquisas específicas sobre a eficácia da radiação UVC artificial contra o Sars-Cov-2, estudos anteriores mostram sucesso na destruição do Sars, pavimentando o caminho para sua aplicação no combate ao novo coronavírus. Instituições renomadas, como o Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP, adotaram essa tecnologia para descontaminação hospitalar.


Aplicações globais da radiação UV-C

A influência da radiação ultravioleta (UVC) transcende fronteiras geográficas e setores, encontrando aplicações inovadoras em ambientes diversos, desde ônibus na China até Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) essenciais.


A China adotou uma abordagem proativa na luta contra germes e vírus em espaços públicos, destacando-se na esterilização de ônibus por meio da tecnologia UVC. Emissores estrategicamente posicionados transformam esses veículos em ambientes mais seguros, protegendo passageiros e contribuindo para a mitigação da disseminação de doenças.


Em uma escala global, emissores de UVC tornaram-se aliados essenciais na batalha pela higiene hospitalar. Desde os corredores movimentados até salas de operação críticas, a UVC limpa pisos hospitalares, oferecendo uma camada adicional de proteção contra patógenos. Essa aplicação destaca a versatilidade da tecnologia na manutenção de ambientes de saúde seguros.


A influência da radiação ultravioleta não se limita apenas ao setor de saúde. Até mesmo instituições financeiras, como bancos, reconhecem o potencial da UVC na desinfecção de dinheiro. A luz UVC emerge como uma ferramenta confiável na desinfecção de superfícies, demonstrando seu papel abrangente na promoção de ambientes mais seguros e livres de microrganismos.


A aplicação da UVC estende-se além de ambientes físicos para o âmbito dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Máscaras N95 e aventais, fundamentais na proteção contra a propagação de vírus, entram na mira da radiação ultravioleta para desinfecção. Esse avanço representa uma resposta inovadora às demandas contemporâneas por métodos eficazes de esterilização de EPIs reutilizáveis.


Caminho para uma Desinfecção Eficiente

Em meio às demandas crescentes por métodos eficazes de desinfecção de máscaras, a radiação ultravioleta (UVC) emerge como uma alternativa promissora. Sua notável capacidade de penetrar nas células dos patógenos sugere uma eficácia potencial na eliminação do vírus, proporcionando um método confiável sem comprometer a capacidade das máscaras de filtrar partículas ou garantir um ajuste confortável à pele.


Fernando Bottene, CEO e fundador da Via Luz, destaca a importância crucial do design adequado na implementação bem-sucedida dessa tecnologia. Ele enfatiza que a eficácia da radiação UVC depende de fatores como a distância entre o emissor e a superfície a ser esterilizada, além da potência do emissor. Essa abordagem direcionada assegura que a desinfecção seja eficiente, mantendo a integridade das máscaras e garantindo sua funcionalidade contínua.

"Essa é uma tecnologia válida, que existe e funciona, desde que bem desenhada, pois a eficácia depende da distância entre o emissor e a superfície a ser esterilizada e a potência do emissor",

explica Fernando Bottene. Seu comprometimento com o desenvolvimento dessas aplicações para ambientes de saúde destaca a relevância e o potencial dessa abordagem inovadora na desinfecção de itens essenciais de proteção pessoal.


Neste cenário desafiador, onde a reutilização segura de máscaras se torna essencial, a radiação UVC se destaca como uma solução confiável e eficiente, contribuindo para a manutenção de práticas de proteção individual e coletiva em ambientes diversos.

16 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page